Notícias do Agreste e Sertão de Pernambuco

Colunas/OPINIÃO & POLÍTICA

Precisamos lembrar do estelionato

O Estelionato Eleitoral, também conhecido como Giro político ou Pirueta Política, é um conceito da Ciência Política

Precisamos lembrar do estelionato
IMPRIMIR
Use este espaço apenas para a comunicação de erros nesta postagem
Máximo 600 caracteres.
enviando

Maquiavel nos disse no livro O Príncipe que no estudo da política vale mais “procurar a verdade efetiva da coisa do que uma imaginação sobre ela.” E no estudo da nossa realidade política, a verdade suplanta o ideal distorcido e degenerado que a propaganda oficial tenta turvar e é aquela mesma que diz que nós, os arcoverdenses, fomos vítimas, não do maior Estelionato Eleitoral, mas sim, do único que a nossa História conheceu, ao menos a mim que tenho como estudo a nossa crônica politica.  O Estelionato Eleitoral, também conhecido como Giro político ou Pirueta Política, é um conceito da Ciência Política utilizado para descrever os casos de candidatos eleitos que ao assumirem o governo, adotam um programa contrário ao qual prometeram antes de serem eleitos. É preciso que se lembre que o fenômeno do Estelionato Eleitoral não se compara a prática comum das já contumazes promessas não cumpridas. A nossa cultura política tolera em razão do costume aqueles agentes que não cumprem o que prometem, aliás, aquele que nada promete, dificilmente sairá vencedor, mas, isso é algo muito diferente de que, quando uma vez no poder, o cinismo chegue a tal ponto das ações serem diametralmente opostas ao que se prometera realizar, a pôr em prática. A população de Arcoverde, não o séquito de bajuladores e dos contemplados com os dinheiros da viúva, está chocada com o que ocorre na atual gestão municipal.  Uma vez eleito, aquele que durante a campanha prometera combater os vícios da política tradicional, que se dizia " O Novo" não apenas os repete, mas também os amplia e regurgita sem nenhum constrangimento. Na verdade, tudo agora é feito sob a égide de uma espécie de ideal superior. Imagino a surpresa de um eleitor do atual gestor municipal que hipoteticamente tivesse entrado em coma um dia antes da eleição e de repente acordasse no fatídico dia da aprovação no Legislativo Municipal do aumento salarial do nosso anteriormente “desprendido prefeito”? Mas, não é só isso e se engana quem pensa que as velhas práticas se resumem apenas a sanha pelo aumento do próprio salário e da Corte de Secretários. Temos ainda as já configuradas práticas de licitações que ferem a Lei de Licitações, o clientelismo, as contratações e nomeações com caráter exclusivamente político e sem nenhum critério curricular, a desqualificação das oposições, a desconstrução moral dos Ex aliados, a proeminência do marketing em oposição a realidade das ruas, as reiteradas negativas as solicitações de informações da Câmara, as tentativas de cooptação de membros da oposição com propostas nada republicanas.

Mas, talvez daquelas práticas que mais aviltam o contribuinte, sejam as contratações dos parentes e amigos do Rei e da Rainha. Principalmente quando se tenta a justificativa pelos argumentos sustentados na suposta legalidade e de que é necessário uma equipe de “Plena confiança. "Então, cabe a pergunta: Que práticas e ações estão sendo realizadas na Secretária de Finanças que apenas uma parente tem coragem para fazer e é capaz de saber? É sabido que a cumplicidade sob quaisquer circunstâncias é comum nas famílias pelos laços indissolúveis do sangue, mas também mui valorizado pela Gomorra e pela Cosa Nostra. Não se pode aceitar esse tipo de engodo.  Certamente o contribuinte e isso é o que esperamos, saberá dar a devida resposta ao golpe de que foi vítima já nas próximas eleições.

FONTE/CRÉDITOS: Djnaldo Galindo
Comentários:

Veja também

Crie sua conta e confira as vantagens do Portal

Você pode ler matérias exclusivas, anunciar classificados e muito mais!

Envie sua mensagem. Entraremos em contato assim que possível.